TST renova Conselho de Administração

Sérgio Soares é o novo managing director da empresa que detém em Portugal a TST.

 

O grupo Arriva, que detém em Portugal a Transportes Sul do Tejo (TST), renovou a sua equipa de direção, tendo nomeado Sérgio Soares como novo managing director, confirmou o ALMADENSE junto de fonte da empresa.

O profissional, que já integrava o Conselho de Administração (até aqui diretor de Operações), sucede a José Pires da Fonseca, que está de saída do cargo que ocupava desde Junho de 2019. De acordo com a empresa, a mudança deve-se a um “processo de reorganização interna no âmbito da Arriva Internacional”.

A nova administração terá a cargo a condução do processo de reestruturação da operação da TST. Até aqui responsável pelo serviço rodoviário em toda a península de Setúbal, a operadora vai passar a concentrar atividade apenas nos concelhos de Almada, Seixal e Sesimbra, uma vez que foi a vencedora do lote 3 do concurso internacional lançado pela Área Metropolitana de Lisboa (AML) e não concorreu ao lote 4 (Setúbal, Palmela, Moita, Montijo e Alcochete).

A concessão terá duração de sete anos e prevê um aumento substancial da oferta de serviço rodoviário e uma melhoria significativa da qualidade da frota. O objetivo é que o processo esteja concluído no final de 2021, altura em que todos os autocarros da grande Lisboa passam a funcionar num sistema integrado sob uma marca única: Carris Metropolitana.

 

Autocarros da TST vão ter idade média inferior a um ano

 

2 Comentários

  • Outubro 23, 2020 at 7:14 pm
    Permalink

    Espero que seja verdade que vão renovar a frota, pois as condições dos autocarros para Sesimbra são deploráveis.
    Espero também a reposição da carreira 260 porque apenas temos uma carreira, a 207 para Sesimbra a sair de Sete Rios e vice-versa.

    Utente destas Carreiras.
    Maria Isabel Galvão

    Responder
    • Outubro 24, 2020 at 1:14 am
      Permalink

      As carreiras serão, a partir da entrada da concessão, definidas pela AMT e caberá à TST executar o serviço nas condições contratadas, sem autonomia para a criaçao ou alteração das mesmas.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *