Primeiro Orçamento Participativo de Almada distingue cinco propostas

Câmara de Almada deu a conhecer as cinco propostas vencedoras da primeira edição do Orçamento Participativo do Município. A autarquia irá atribuir 250 mil euros a projetos de reabilitação ambiental e urbana, uma horta comunitária, reabilitação de um espaço desportivo e um pombal contracetivo.

 

A Câmara Municipal de Almada divulgou esta quinta-feira, dia 15 de Julho, os cinco projetos distinguidos na primeira edição do Orçamento Participativo do município, distribuídos pelas cinco uniões de freguesia do concleho. A entrega dos prémios contou com a presença da Presidente da Câmara Municipal de Almada, Inês de Medeiros, numa cerimónia realizada no Solar dos Zagallos, na Sobreda.

“Este mecanismo de democracia participativa permite, simultaneamente, ir ao encontro das necessidades dos cidadãos e adequar as políticas públicas municipais às suas expectativas. Dessa forma, os munícipes do concelho de Almada puderam propor e votar algumas soluções que gostariam de ver implementadas nos seus territórios e que contribuiriam para uma melhoria da sua qualidade de vida”, destacou a autarquia em comunicado.

As propostas vencedoras foram:

  • Construção de um pombal contracetivo, no Feijó

União das Freguesias do Laranjeiro e Feijó

Proponente: Luís António Augusto Ricardo

Construção de pombais contracetivos, para controlo populacional dos pombos de cidade, com soluções éticas e definitivas, para os problemas relacionados com estes animais em contexto urbano, através da utilização de métodos não agressivos e eficazes, assentes em padrões de respeito pela dignidade dos seres vivos e coadjuvada pelo bom senso e pela necessária e urgente sensibilização da população. A sua implementação será no Largo Francisco Sousa Brandão, no Feijó.

  • Colocação de tabelas de basquetebol no ringue desportivo, em Vila Nova da Caparica

União das Freguesias da Caparica e Trafaria

Proponente: Joana Fogaça Esteves de Araújo

Colocação de tabelas de basquetebol no ringue desportivo, em Vila Nova da Caparica, para o incentivo à prática desportiva e à divulgação da modalidade na zona.

  • Reabilitação da ciclovia entre Cacilhas e o Centro Sul

União das Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas

Proponente: Margarida Alvarez Pacheco de Carvalho

Reabilitação da ciclovia entre Cacilhas e o Centro Sul, passando pela Avenida Aliança Povo MFA, Avenida António José Gomes, Largo 5 de Outubro, Avenida 23 de Julho, com um piso novo, que será diferenciado da estrada e elevado, para que não se confunda com a estrada e permita um escoamento de água eficiente. Permitirá uma utilização da bicicleta, para pessoas de todas as idades poderem pedalar em segurança e com conforto entre as zonas residenciais da Cova da Piedade, para além de melhorar a oferta de turismo no concelho.

  • Reabilitação do leito e margens da Ribeira do Guarda-Mor, na Sobreda

União das Freguesias da Charneca da Caparica e Sobreda

Proponente: Paula Chainho

Desenvolvimento do projeto de reabilitação do leito e margens da Ribeira do Guarda-Mor, na Sobreda, num troço de 600 metros. Será um espaço vivo, inovador e sustentável de acesso livre e de aprendizagem e lazer ao ar livre. O espaço a intervencionar será demonstrativo das boas práticas de reabilitação fluvial, que recorrem à aplicação de técnicas de engenharia natural, e de renaturalização dos ecossistemas ribeirinhos, através das quais se pretende promover e valorizar a biodiversidade autóctone e melhorar a saúde dos rios. Neste processo será promovido o envolvimento dos proprietários, técnicos e comunidade escolar.

  • Construção de uma horta comunitária em Santo António da Caparica

Freguesia da Costa da Caparica

Proponente: Maria de Lurdes Godinho Barradas

A horta comunitária em Santo António será construída com materiais simples e naturais, enquadrados com a natureza envolvente e com uma tipologia semelhante às hortas de São João da Caparica, ou as hortas do Texugo, na Charneca de Caparica, com casas de apoio de madeira, para serem guardadas as ferramentas, pontos de rega comunitários, talhões separados, por meios troncos de madeira e uma vedação do espaço. As hortas comunitárias são espaços de natureza, de promoção da biodiversidade silvestre e alimentar, com enorme valor de coesão social.

 

Autárquicas: sondagem aponta para empate técnico entre PS e CDU em Almada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *