Covid-19. Almada entre os concelhos com nível muito elevado de contágio

Dados divulgados pela DGS apontam para um agravamento da situação epidemiológica do país.

 

Almada é um dos 46 concelhos acima do patamar de 240 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes, indicam os dados disponibilizados pela Direção-Geral de Saúde (DGS) esta segunda-feira. A taxa de incidência, verificada durante as duas últimas semanas, coloca Almada no grupo dos concelhos de risco muito elevado de contágio.

A nível nacional, a lista de concelhos com maior incidência de Covid-19 por mil habitantes é encabeçada por Paços de Ferreira, Lousada, Vizela, Mogadouro e Borba, sendo que Almada surge na posição 41º. Na região de Lisboa, os concelhos com maior risco de contágio são Sintra, Lisboa e Cascais, todos acima do patamar de 300 casos por 100 mil habitantes.

Os dados apontam também para um aumento do número de concelhos com risco elevado (mais de 120 casos por 100 mil habitantes nas duas últimas semanas), confirmando o agravamento da situação epidemiológica no conjunto do país.

Se no sábado, 24 de outubro, os números da DGS indicavam que havia 77 concelhos nessa situação, os dados mais recentes referem que há agora um total de 117 concelhos e com “tendência crescente”, afirmou a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, durante a conferência de imprensa de atualização dos dados da COVID-19.

De acordo com os dados divulgados na segunda-feira, o concelho de Almada regista neste momento um total acumulado de 1928 infetados por Covid-19. Na última semana, a subida foi de 268 novos casos, o que representa o maior aumento desde que a contabilização é feita semanalmente.

No conjunto do país, foram contabilizados esta quarta-feira 3960 novos casos, o que representa um novo record diário, apontando para um aumento do risco de saturação em unidades do Serviço Nacional de Saúde. Nas últimas 24 horas, houve registo de mais 24 vítimas mortais, elevando o total para 2394 óbitos relacionados com a Covid-19.

 

Almada. Idosos vão receber vacina contra a gripe em unidade móvel de saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *