Almada Innovation District: 800 milhões para criar uma “nova cidade” na margem sul do Tejo

Projeto promete criar um “novo centro urbano” nos terrenos entre o Monte de Caparica e Porto Brandão e dar origem a 17 mil postos de trabalho.

 

Um novo centro urbano prepara-se para nascer no concelho de Almada, trazendo um pólo empresarial, de investigação tecnológica, um centro habitacional e novos espaços verdes. Trata-se do projeto Innovation District, que conta com um investimento que ultrapassa os 800 milhões de euros e promete a criação de 17 mil empregos. A iniciativa parte da Universidade Nova de Lisboa e conta com o apoio estratégico da Câmara Municipal de Almada e de vários investidores privados.

“Neste momento, este é o grande projeto de Almada”, afirmou Inês de Medeiros, presidente da Câmara de Almada, esta quarta-feira, 17 de março, durante a apresentação do Innovation District, que decorreu via Zoom. Garantindo que existem já vários projetos prontos a arrancar outros em curso para licenciamento, a autarca frisou que se trata de um “virar de página da tradição em Almada de projetos que ficam no papel”.

 

mapa-innovation-district
Mapa do Innovation District.

 

Numa área total de 399 hectares, o plano urbanístico pretende abrir o campus da universidade à cidade e incorporar infraestruturas turísticas, espaços comerciais, desportivos e culturais. Em suma, será uma “nova cidade, que terá no seu coração conhecimento, tecnologia” e estará “ao serviço das pessoas, sendo inclusiva e sustentável”, destacou José Ferreira Machado, vice-reitor da Universidade Nova.

Está também prevista a construção da extensão do metro de superfície, que pretende ligar o Innovation District à Costa da Caparica em apenas 10 minutos e a criação de 1000 fogos destinados à habitação. Ao mesmo tempo, a frente ribeirinha e os centros históricos do Porto Brandão e da Trafaria deverão ser alvo de reabilitação.

Destacando o “conceito inovador, que pode trazer grandes vantagens à população”, Virgílio Machado, diretor Nova School of Science & Technology, adiantou mesmo que o projeto tem potencial para transformar a zona da Trafaria e Porto Brandão numa espécie de “Silicon Valley” da Europa.

Trata-se de um projeto “altamente relevante para o desenvolvimento da Grande Lisboa”, sublinhou, por sua vez, João Sàágua, reitor da Universidade Nova de Lisboa, que destacou também a importância do enquadramento urbanístico do projeto, que pretende desenvolver-se organicamente durante mais de uma década. “A Nova quer posicionar-se como a universidade da área metropolitana de Lisboa: uma cidade com duas margens, que se estende até ao Atlântico”.

De natureza transversal, o projeto “insere-se na estratégia de desenvolvimento económico do país”, destacou, por sua vez, Eurico Brilhante Dias, secretário de Estado da Internacionalização. Para o responsável, o Innovation District irá fomentar a “competitividade do território, potenciando a atração de investimento estrangeiro”.

Com o Plano Diretor Municipal (PDM) de Almada ainda em fase de revisão, o município pretende aplicar normas provisórias na zona abrangida pelo novo projeto, até que o PDM esteja finalizado, o que só deverá acontecer no próximo ano.

 

Projeto Almada Poente pretende “transportar o Monte da Caparica para o centro da cidade”

3 Comentários

  • Março 17, 2021 at 11:30 pm
    Permalink

    Um contrassenso a contra ciclo.

    Responder
  • Março 19, 2021 at 1:18 pm
    Permalink

    Não será mais “um projecto” como a célebre “Torre Biónica” da Lisnave?… Para isso é preciso querer, investimento e muito dinheiro, será q o há?!…

    Responder
  • Março 27, 2021 at 2:44 pm
    Permalink

    Para inglês ver … contas para as autárquicas, números e votos. Um PS forreta .

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *