Trotinetes e bicicletas elétricas vão chegar a Almada

Bolt, Lime e Bird vão implementar o projeto-piloto, que pretende testar três percursos no concelho durante seis meses.

 

Almada vai acolher um projeto-piloto que visa a introdução de trotinetes e bicicletas elétricas no concelho durante seis meses. O projeto será implementado inicialmente em três percursos, sendo que o objetivo passa por alargar posteriormente a operação a mais zonas do município.

A introdução dos veículos partilhados, que será operada pelas empresas Bolt, Lime e Bird, foi aprovada esta segunda-feira, dia 21 de novembro, em reunião de Câmara. Cada uma das empresas irá disponibilizar 300 trotinetes, o que faz um total de 900 veículos elétricos. “Este número será a todo o momento reavaliado pelo município, permitindo o seu aumento ou redução”, explicou o vereador José Pedro Ribeiro.

Os três percursos onde as operadores vão instalar os veículos elétricos são o eixo Cacilhas, Almada, Caparica (com ligação ao Campus da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade Nova), o percurso Trafaria, Costa de Caparica e Estrada da Fonte da Telha (até ao cruzamento da Rua do Giramar) e ainda a operação parcial do paredão marítimo na Costa de Caparica, desde o bar de praia Chapéu de Palha (sul da Costa de Caparica) até ao bar de praia Tarquínio (norte da Costa de Caparica).

Sem precisar a data de arranque do projeto-piloto, José Pedro Ribeiro adiantou que a iniciativa tem como “objetivo estratégico o reordenamento e requalificação do espaço público e a melhoria das condições de mobilidade pedonal, automóvel e ciclável” no concelho de Almada.

Para o autarca, o uso da trotinete e bicicleta em contexto urbano “permite ao cidadão uma maior celeridade de deslocação entre pontos de curta distância de um modo suave, oferecendo ainda a possibilidade de alcançar uma redução significativa da emissão de CO2, tratando-se assim de uma solução de transporte amiga do ambiente”, referiu.

Admitindo que este tipo de aluguer de transporte urbano levantou alguns problemas em outros municípios, o vereador municipal defende que Almada aprendeu com “aquilo que correu mal nos outros municípios”, pelo que irá “obrigar a que os veículos sejam deixados nas docas de estacionamento fixadas”. Ou seja, na aplicação onde os utilizadores alugam as trotinetes e bicicletas, a contagem do percurso só termina quando o utilizador estaciona devidamente o veículo numa das docas de estacionamento. O objetivo é impedir que as trotinetes e bicicletas sejam largadas em qualquer local da via pública.

Este projeto-piloto vai permitir testar a introdução destes veículos amigos do ambiente no município para que, posteriormente, seja traçado um plano mais abrangente e se dê início ao processo de licenciamento das operadoras no concelho. O valor das tarifas aplicadas vai ser determinado pelas operadoras e depender do percurso escolhido.

 

Aprovada moção pela criação de uma rede de bicicletas partilhadas em Almada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *