Urgência de Obstetrícia do Garcia de Orta em risco de fechar

Depois da urgência pediátrica, também a urgência de obstetrícia do Garcia de Orta está em risco de fechar durante a noite, alerta o Sindicato Independente dos Médicos.

 

A urgência de obstetrícia do Hospital Garcia de Orta, em Almada, poderá encerrar durante a noite já a partir da próxima semana devido à falta de médicos. O alerta foi dado pelo Sindicato Independente dos Médicos (SIM), num comunicado no qual manifesta “profunda preocupação pelo facto de a maternidade do Hospital Garcia de Orta estar em contingência nas próximas semanas”. A situação ganha gravidade numa altura em que outras maternidades da região de Lisboa e Vale do Tejo também “estão nos seus limites”.

O SIM aponta o dedo ao Conselho de Administração do Hospital, “cuja única preocupação” é, para o sindicato, “criar dificuldades ao trabalho do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia”, que se encontra “muito desfalcado e pressionado pelas centenas de milhares de pessoas a que tem de responder”.

De acordo com o sindicato, em vez de serem tomadas as solicitações e medidas de reestruturação face à Covid-19 que visavam a reabertura pós-estado de emergência, “foram tomadas medidas sem o conhecimento ou a participação dos elementos do serviço, descredibilizando o seu papel”  e colocando “muitas vezes em causa a segurança dos profissionais e dos doentes”. 

“As escalas dos meses de junho e do mês de agosto prevêem a incapacidade do serviço de estar aberto durante a noite”, avisou Jorge Roque da Cunha, secretário-geral do SIM, em declarações à TVI, defendendo a contratação de mais médicos e a criação de condições para essas contratações. 

Recorde-se que no passado dia 4 de junho, o Sindicato dos Médicos da Zona Sul acusou o conselho de administração do Hospital Garcia de Orta de gestão autocrática, na sequência da demissão do diretor de Ginecologia e Obstetrícia, “por delito de opinião”, tendo solicitado a intervenção do Governo. Na altura, a Ordem dos Médicos manifestou igualmente preocupação e pediu explicações à administração, destacando as dificuldades sentidas naquele serviço nos últimos anos.

O risco de encerramento da urgência de obstetrícia surge numa altura em que se mantém o encerramento à noite da urgência pediátrica, situação que se arrasta desde Novembro. Por isso, o SIM pede “medidas para evitar a destruição do serviço, tal como ocorreu com a pediatria”.

 

BannerAzul_300x600

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *