Ensino à distância: ainda há alunos em Almada sem computador

Escolas de Almada receberam computadores entregues pelo Governo e angariados por associações. Mas ainda há centenas de alunos no concelho sem acesso a material informático.

 

No Agrupamento de Escolas da Trafaria, no concelho de Almada, a principal preocupação prende-se com os alunos mais jovens. Neste momento, “é no primeiro ciclo que se verificam as maiores dificuldades em acompanhar o ensino à distância devido à falta de material informático”, referiu o diretor do agrupamento, Sandro Gonçalves, em declarações ao ALMADENSE.

Finda a primeira semana de aulas online, naquele agrupamento há pelo menos 40 alunos do primeiro ciclo sem acesso a computador. Alguns tentam acompanhar as aulas síncronas através de telemóvel, outros recebem fotocópias com material didático. “Estamos a fazer todos os esforços para que ninguém fique para trás. Tentamos dar apoio extra, mas não é a mesma coisa”, admite o responsável.

 

Apesar das limitações, a situação melhorou em relação ao anterior confinamento. Numa zona com grande concentração de famílias com carência económica, o facto de muitos alunos beneficiarem da ação social escolar acabou por permitir aos jovens dos escalões A e B serem dos primeiros a receber os computadores distribuídos pelo Governo no âmbito do programa Escola Digital.

Até ao momento, chegaram 200 “kits tecnológicos”, que incluem auscultadores, microfone, um hotspot e um cartão SIM para assegurar a ligação à internet. A estes juntam-se os 60 computadores entregues pela Associação Cova do Mar, que desenvolve trabalho social na Trafaria. No entanto, no seu conjunto, as doações apenas conseguiram colmatar as necessidades no que diz respeito ao segundo e terceiro ciclos.

 

Associação pretende angariar 300 computadores

O ALMADENSE procurou saber junto da Câmara Municipal de Almada qual o número total de estudantes ainda sem acesso a material informático no concelho, mas a autarquia não avançou números. Ainda assim, fonte do município garantiu que “os computadores têm estado a chegar às escolas”, indicando que “apesar de situações pontuais em que a resposta ainda não é completa, as necessidades estão a ser colmatadas”.

Ao contrário de outras autarquias espalhadas pelo país, a Câmara Municipal de Almada optou por não adquirir computadores para entregar aos alunos do concelho. No entanto, o município assinala que desde abril de 2020 é parceiro do projeto “O Futuro está ON”, impulsionado pelas associações Novo Mundo e Brigada do Mar, “que recolhe computadores usados e tem feito a doação a escolas para empréstimo aos alunos com mais carências”.

Desde Abril do ano passado, o projeto já conseguiu entregar mais de 500 equipamentos só no concelho de Almada, disse ao ALMADENSE Rita Seirôco, da Associação Novo Mundo. Mas os pedidos continuam a chegar, pelo que a associação não baixa os braços. “Escrevemos a todas as escolas públicas, particulares e profissionais do concelho e até ao momento pediram 300 equipamentos”. Contudo, refere a responsável, muitas escolas ainda não responderam aos contactos efetuados.

 

Foto: Associação Cova do Mar

 

Almada é o município onde os preços das casas mais sobem

 

BannerAzul_300x600

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *