Dia aberto da FCT no Monte da Caparica recebeu estudantes de todo o país

Faculdade mostrou o leque educativo a estudantes, professores e encarregados de educação, através de demonstrações interativas.

 

Mais de 5500 alunos de todo o país deslocaram-se a Almada para participarem na 14ª edição da Expo da Faculdade de Ciências e Tecnologias, da Universidade Nova de Lisboa, que decorreu esta quarta-feira, dia 27 de abril. Foram mais de 150 atividades e demonstrações, que incluíram Realidade Aumentada, micro-robôs e até lasers em ação. 

O evento realizou-se no campus da Universidade, situado no Monte da Caparica, numa iniciativa com o objetivo de mostrar toda a oferta educativa aos alunos, assim como a professores e encarregados de educação. 

A dia aberto regressou este ano ao modo presencial, depois do evento online realizado no ano passado. “O online abre outras possibilidades e outras competências’’, afirmou João Mouro, do departamento de E-learning da FCT. “Mas assistir às demonstrações pessoalmente tem outro impacto. Eu fiz todo o meu percurso aqui, de aluno a colaborador, sei que a faculdade procura os melhores, para isso estas iniciativas são necessárias’’, disse ao ALMADENSE.

 

expo-fct-nova

 

O departamento de E-learning teve várias demonstrações ao longo do dia, incluindo uma sobre Realidade Virtual e Realidade Aumentada. João Marques, aluno do 12º ano, mostrou-se cativado pelas demonstrações. “Gosto deste tipo de experiências, estou a pensar em seguir Medicina, mas também gosto destas áreas, de programação e de jogos”, comentou.

Iniciativas como a Expo são consideradas importantes porque permitem aos mesmos descobrirem outras ofertas educativas, além das mais conhecidas: “As escolas pouco ajudam e há pouca informação online, a procura não tem sucesso”, afirmou ao ALMADENSE Vasco Montenegro, aluno no primeiro ano de mestrado em Conservação e Restauro. 

“No meu caso, conheci o curso uma semana antes de me inscrever. Se tivesse vindo à Expo teria decidido mais cedo, sem ter de andar tão confuso”. Casos como o de Vasco retratam a necessidade de informar melhor os alunos do secundário sobre as opções que têm à sua escolha. 

O agora aluno da FCT NOVA mostra-se feliz com a escolha. “Ainda bem que escolhi o curso certo, agora faço o que gosto e numa profissão com importância”, tendo sido convidado a expor na Expo deste ano. O projeto do jovem estudante é um dos que integram várias exposições do evento. Consiste num conjunto de análises feitas a uma obra destruída do pintor Armando Matos Simões, tendo como propósito descobrir o que pode ser preservado, restaurado e de que forma.

Esta preocupação e indecisão é um fator cada vez mais relevante no percurso escolar dos alunos. “Cada vez mais acho que muita gente está perdida no secundário. Estas visitas dão-nos alguma ideia’’, disse Ana Margarida, aluna no 11º ano na área de Ciências e Tecnologias.

A colega de turma, Carolina, partilha a opinião. “Era bom que tivéssemos mais eventos destes ao longo do próximo ano, são importantes para decidirmos para que faculdade queremos ir”, afirmou. 

 

Universidade Nova lança concurso para residência com 550 camas no campus da Caparica

Apoie-almadense

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.