Do tradicional para o digital: impacto das novas ferramentas digitais na área financeira

Basta estarmos atentos aos números sobre as compras online nos últimos dois anos para nos apercebermos que estamos perante uma verdadeira revolução digital que afeta uma série de aspetos da nossa vida.

O consumo é um deles, mas observamos exemplos desta mudança na forma como hoje podemos recorrer aos serviços de notariado para pedir a renovação do cartão de cidadão ou até contratualizar um produto financeiro, como um crédito pessoal, um crédito consolidado ou um cartão de crédito.

Longe daquilo que acontecia até há uns anos em que para obtermos um financiamento do banco tínhamos que nos deslocar a um balcão físico, por vezes até mais do que uma vez, dado que a muita burocracia implicada a isso obrigava, hoje em dia, a partir de, virtualmente, qualquer lugar podemos, com um só clique, ter um acesso simplificado ao tão desejado financiamento.

Para além da simplicidade no acesso, o online veio ajudar na análise mais detalhada e aprofundada do produto financeiro que queremos contratar.

Se, anteriormente, o contexto de um pedido presencial acabava por poder ser mais favorável para os bancos, até porque, uma pessoa menos informada acabava por não pedir mais simulações e aceitava uma proposta que poderia incluir taxas de juro elevadas, com o advento da contratação digital, existem inúmeros simuladores que oferecem respostas no momento a que se juntaram os intermediários de crédito que comparam gratuitamente as propostas das entidades financeiras.

Por exemplo, se pretende contratar um crédito pessoal online, basta fazer uma simples pesquisa de um banco/instituição de crédito no browser do seu PC ou smartphone, clicar num resultado ir diretamente para a página de crédito pessoal da instituição onde irá encontrar um simulador que lhe permitirá calcular o valor do financiamento (varia entre os 200€ e os 75.000€) em função do prazo (varia entre 6 e 84 meses) de pagamento.

Para além de, rapidamente, ficar a saber qual a mensalidade que ficará obrigado a pagar todos os meses, este simulador dá-lhe também informação sobre a TAEG (Taxa Anual de Encargos Efetiva Global) e a TAN (Taxa Anual Nominal) que são aplicadas ao valor pedido e qual será o montante total (MTIC – Montante Total Imputado ao Consumidor) em que terá que reembolsar a instituição para o prazo que escolheu.

Depois da simulação, e caso queira partir para a contratualização do crédito, terá que preencher um formulário online onde deve inserir os seus dados pessoais e os documentos solicitados e finalizar o seu pedido de empréstimo. Entre os documentos pedidos contam-se, normalmente:

  • Últimos 3 recibos de vencimento
  • Comprovativo de morada
  • Comprovativo de NIB/IBAN

Como a burocracia envolvida em todo o processo é menor e mais simples, já que que tudo é tratado online e de forma autónoma, o crédito pessoal online é mais rápido do que um “tradicional” pedido de crédito num balcão físico sendo que, na maior parte dos casos, o prazo de resposta à sua solicitação é de entre 24 e 48 horas e, uma vez validado, o montante é depositado na sua conta até dois dias úteis depois.

Exemplo prático

Para melhor perceber como as novas ferramentas digitais estão a modificar a face da área financeira, vamos apresentar-lhe um exemplo prático.

Imagine que o Sr. António pretende mudar o telhado e impermeabilizar as paredes de sua casa e, para o conseguir, vai pedir um financiamento através de um crédito pessoal online.

Tal como referimos, o primeiro passo a dar é efetuar uma pesquisa no browser do seu PC, smartphone ou tablet com ligação à Internet utilizando, por exemplo, palavras-chave como “crédito pessoal imediato”, “empréstimo pessoal online” ou “crédito pessoal online”.

Após a pesquisa, o Sr. António para na página de crédito pessoal do UNIBANCO, marca da UNICRE – instituição financeira de crédito.

Nesta página, ele vai encontrar um simulador de crédito pessoal que lhe permitirá realizar uma simulação (com possibilidade de seguro) para valores entre os €5.000 e os €75.000, bem como optar por prazos de pagamento que oscilam entre 24 e 84 meses.

Como o objetivo do Sr. António é pedir um financiamento de 10 mil euros que pretende pagar no mínimo tempo possível, ou seja, 24 meses no caso, a simulação dá-lhe um valor de mensalidade de 445,46 euros com uma TAEG de 86%, TAN de 6,250% e um MTIC de 10867,11 euros.

Agradado com o valor da mensalidade, basta ao nosso personagem clicar na barra “Peça Já” que o reencaminhará para o preenchimento de um pequeno formulário e escolher a opção digital para finalizar o processo sem sair de casa.

Para além do preenchimento do formulário, ser-lhe-á ainda pedido que introduza os documentos necessários, valide a sua identidade e assine com um código SMS que será enviado para o seu telemóvel.

Depois dos documentos assinados e enviados, o Sr. António receberá a resposta ao seu pedido de crédito pessoal online sendo que, após aprovação, o montante pedido será depositado na sua conta em alguns dias úteis.

 

Foto: Bench Accounting / Unsplash

 

Conteúdo Comercial: Unibanco

 

DS Seguros chegou à cidade de Almada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.