Carris Metropolitana: TML garante reforço gradual do serviço até ao final do ano

Informação foi transmitida durante a sessão de esclarecimento realizada na Trafaria, onde os utentes voltaram a manifestar descontentamento em relação aos horários, frequência de carreiras, paragens e a oferta noturna. 

 

A Transportes Metropolitanos de Lisboa (TML) garante que está a trabalhar junto dos operadores para solucionar progressivamente as falhas identificadas no novo serviço rodoviário implementado nos concelhos de Almada, Seixal e Sesimbra. De acordo com Rui Lopo, administrador da TML, a nova rede da Carris Metropolitana só estará completa no próximo dia 1 de janeiro, sendo que até lá serão introduzidas correções de forma faseada.

A informação foi fornecida pelo responsável durante a primeira sessão de esclarecimento dos utentes, realizada na Trafaria esta terça-feira, dia 19 de julho. Na mesma sessão, a TML também destacou que a partir de agora poderá sansionar a operadora Transportes Sul do Tejo (TST) por incumprimentos contratuais do novo serviço rodoviário da Carris Metropolitana. “Antes do dia 1 de julho não se podia exigir muito mais à TST. Agora, com o novo contrato, podemos sancionar os operadores pelos seus incumprimentos contratuais, seja falhar uma carreira ou um percurso”, explicou.

Dezenas de pessoas participaram na sessão, tendo manifestado o seu descontentamento com o novo serviço de transporte público, nomeadamente em relação aos horários, frequência de carreiras, paragens e a oferta noturna da Carris Metropolitana. 

“Trabalho em Lisboa no meio hospitalar. Quando saio às 23h não tenho um único autocarro para a Trafaria, a minha única opção é apanhar o 3710 para a Costa, mas a última carreira a sair de Sete Rios foi às 22h10”, apontou a utente Cláudia Augusto. “A outra alternativa é apanhar o barco para Cacilhas e optar por um autocarro que me deixe em casa. No entanto, a última carreira da 3009 partiu às 23h30″, disse a moradora, referindo também que o número de carreiras durante os fins de semana não é suficiente para quem trabalha durante esse período. 

Presente na sessão, presidente da CMA, Inês de Medeiros, reconheceu as falhas da implementação do serviço, mas mostrou-se convicta no projeto. “Estou certa que no final o serviço vai representar uma melhoria nos transportes públicos”, afirmou.

“Este é um projeto muito acarinhado por toda a população com expectativa de que irá trazer uma melhoria significativa. Mas, em vez disso, verificou-se que gerou descontentamento”, admitiu, por sua vez, José Joaquim Leitão, presidente da Assembleia Municipal.

Já o vereador José Pedro Ribeiro destacou a vontade da autarquia em “ouvir os utentes”, para que em conjunto com a TML se construa uma rede de transportes rodoviários “que orgulhe a população”.  

Esta foi a primeira de uma série de sessões de esclarecimento sobre a Carris Metropolitana que estão a decorrer no concelho de Almada. As seguintes a estão marcadas para dia 20 de julho (Costa da Caparica), dia 21 (Charneca da Caparica e Sobreda), dia 22 (Almada, Pragal, Cova Piedade e Cacilhas) e dia 26 de julho (Laranjeiro e Feijó).

 

Progressivo reforço do serviço

Para combater as falhas já identificadas na rede, foram anunciadas entretanto novas alterações no serviço. Assim, a partir de dia 25 de julho as linhas 3021 e 3030 passam a ir novamente à Torre das Argolas, enquanto que as linhas 3009 e 3014 voltam a passar pelos bairros no Monte da Caparica.

Já no início do próximo mês, a 1 de agosto, a linha 3030 (Fonte da Telha – FCT) passa a ter mais 45 ligações articuladas com os barcos na Trafaria e a linha 3507 passa a a circular pelos bairros do Monte da Caparica.

Também a nova linha 3504 (a antiga 197) entra já em funcionamento a partir de dia 8 e a partir de dia 22 de agosto a linha 3022 regressa a Cacilhas, ficando novamente com o percurso da antiga linha 124. 

 

 

Apoie-almadense

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.