Segunda-feira, Dezembro 11, 2023
CulturaDestaqueOutros Destaques

Romance de Pedro e Inês de Castro regressa aos palcos em Almada

Texto de Luis Vélez de Guevara, “Reinar Depois de Morrer”, está de volta ao Teatro Municipal Joaquim Benite entre os dias 20 de janeiro e 12 de fevereiro.

 

A Companhia de Teatro de Almada (CTA) e a Compañia Nacional de Teatro Clásico, de Madrid, têm evento marcado para este mês de janeiro no Teatro Muncipal Joaquim Benite. A peça “Reinar Depois de Morrer”, da autoria do escritor clássico Luis Vélez de Guevara, é trazida à vida pela encenação de Ignacio García, estando agendada para entre os dias 20 de janeiro e 12 de fevereiro, na Sala Principal do teatro municipal.

Com origem em 1635, a obra de Guevara conta a história de amor entre D. Pedro e D. Inês de Castro. A tragédia inspira-se na literatura portuguesa e castelhana, combinando “ambas as línguas e sensibilidades —a saudade portuguesa e a crueza castelhana—, criando um milagre teatral com uma força imensa, que culmina na cena necrófaga e aterradora do cadáver reinante, metáfora barroca e símbolo de uma justiça tardia e estéril”, destaca o site do teatro municipal.

Interpretado pela CTA e pela Compañia Nacional de Teatro Clásico, o espetáculo deste ano é uma reposição, e conta com um novo elenco da CTA, da peça que alcançou grande sucesso em 2019, tanto em Madrid, como em Portugal, tendo acumulado mais de 5 mil espectadores em Almada e no Porto, no Teatro Nacional São João. Tal sucesso também valeu ao cenógrafo José Manuel Castanheira o Prémio Autores para Melhor Cenografia, atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores e a Ignacio García o Prémio de Melhor Encenação, atribuído pela Associação de Encenadores de Espanha.

“Reinar Depois de Morrer” tem duração de uma hora e meia, estando patente de quinta a sábado, às 21h, e quarta e domingo às 16h. A acompanhar o espetáculo haverá também uma série de “Conversas com o público” nos dias 21 e 28 de janeiro e 4 e 11 de fevereiro, às 18h.

 

Preço das casas em Almada ultrapassa os dois mil euros por metro quadrado

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *