Quarta-feira, Junho 12, 2024
Cultura

Festival dos Capuchos, santos populares e ar livre: em junho há atividades para todos os gostos em Almada

Com o aroma dos manjericos a espalhar-se por Almada, assista a um concerto de José Cid, participe numa escape room ou encontre a paz interior numa aula de chi kung, no Solar dos Zagallos. Conheça estas e outras sugestões do ALMADENSE.

 

1. Ouvir e dizer poesia em Cacilhas

O Poetry Slam Almada regressa já a 7 de junho ao Ponto de Encontro, em Cacilhas. Depois de uma edição especial dedicada à Revolução dos Cravos, a segunda eliminatória do Slam convida todos a partilhar os seus textos em palco; dos participantes serão escolhidas duas vozes para a grande final, que acontece em setembro também em Almada. Caso queira dizer poemas da sua autoria, pode inscrever-se através do e-mail palavra.slam.almada@gmail.com.

Publicidade
fct-cientistas

 

2. Ouvir Cais Sodré Funk Connection na Costa da Caparica

Em junho “Está Tudo em Festa” em Almada, com música, dança e marchas populares. Esta sexta-feira, dia 7 de junho, pelas 21h30, são os Cais Sodré Funk Connection a trazer animação, com um concerto gratuito na Praça da Liberdade, Costa da Caparica. A banda promete deixar todos a dançar com a sua mistura única de funk e soul, antecipando o novo álbum de originais que contará com temas inéditos cantados em português.

 

3. Ler uma obra de Jorge Amado censurada pela PIDE

Na tarde de sábado, 8 de junho, pelas 15h, a comunidade de leitores “Sábados de Leitura” regressa à Biblioteca José Saramago, no Feijó, para mais uma discussão sobre livros censurados pela PIDE. “São Jorge dos Ilhéus”, de Jorge Amado, é o livro escolhido para a próxima sessão.

Aí, o autor aborda a miséria no cultivo do cacau no Brasil, assim como as relações sociais e políticas de exploração laboral. Em 1969, dezoito anos após a sua proibição, era levantada a interdição por negação da afiliação partidária e realce das qualidades literárias da obra. “Afinal, o autor não é comunista”, retratava o relatório. A participação é gratuita.

 

4. Participar numa escape room em Cacilhas

“A Morte no Escritório!” é a escape room que toma conta do Ponto de Encontro, em Cacilhas, já a 8 de junho. A partir das 16h, todos podem assumir o papel de um inspetor num cenário de crime. “Transforma-te em detetive e vem seguir as diversas pistas, enigmas e charadas que conduzem à resolução do crime”, incita a organização. De participação gratuita, o jogo requer inscrição através de formulário.

 

5. Ver um espetáculo de dança da Ca.DA

sereia-cada

Também no sábado, 8 de junho, pelas 17h, o Teatro Municipal Joaquim Benite abre as portas aos alunos da Companhia de Dança de Almada (Ca.DA), que apresentam o espetáculo final “Serei a que dança”. A partir da história da Pequena Sereia, de Hans Christian Andersen, os dançarinos materializam o sonho, a liberdade e a força de vontade que se transforma em movimento.

Os bilhetes têm o valor de 8 euros, com desconto para crianças e seniores, e podem ser reservados através do contacto 212 500 145 (seg. a sex. das 16h às 20h) ou do e-mail escola@cdanca-almada.pt. O espetáculo tem nova sessão a 9 de junho, às 11h.

 

6. Ver uma exposição sobre o Tempo na Oficina da Cultura

“Tempo – Relativo e Subjetivo” é a exposição que pode ver na Oficina da Cultura, em Almada, a partir do dia 8 de junho. Doze instalações que vão da fotografia ao vídeo, passando pelo desenho, pintura e escrita levam os visitantes ao imaginário de um grupo de jovens que pensaram as questões desta dimensão em toda a sua complexidade. O projeto é de dois grupos escolares do concelho que, através do objeto artístico, moldam e repensam a marcante dimensão da vida humana.

 

7. Ouvir canções revolucionárias no Convento dos Capuchos

“Grândola e outras Canções Revolucionárias” é a proposta do Festival dos Capuchos para sábado, 8 de junho, às 21h. No Convento dos Capuchos, os espetadores vão poder ouvir músicas que tiveram um papel concreto de mobilização e mudança, como “Grândola, Vila Morena”, “Bella Ciao” ou “Indépendance Cha Cha”. O recital de violino e piano é idealizado pela premiada violinista belga lusodescendente Elsa de Lacerda, acompanhada por Nathanaël Gouin. Os bilhetes têm o valor de 10 euros, com desconto para jovens e seniores, e podem ser adquiridos online.

 

8. Ir a um concerto de José Cid na Romeira

jose-cid-foto

Na noite de 8 de junho, a partir das 23h30, José Cid vem até à Romeira para um grande concerto. O músico de 82 anos, a quem não falta energia, promete trazer ao Luigi vários dos favoritos do público, como “Cabana Junto à Praia”, “Como um Macaco Gosta de Banana” ou “Ontem Hoje e Amanhã”. A festa dura até às 4h da madrugada.

Os bilhetes têm o valor de 20 euros, com mesas a 25 euros por pessoa. Podem ser adquiridos no espaço do Luigi, no bar Rock do Rio ou na Esplanada Portuguesa, (todos no Mercado da Romeira), ou por Mbway, através do contacto 933 394 195, escrevendo Cid e enviando para o número de destino comprovativo com os nomes correspondentes.

 

9. Ir a uma festa com o DJ Jay Lion na Costa da Caparica

Ainda no sábado, 8 de junho, todos os caminhos vão dar à Praia da Sereia, onde o bar Waikiki celebra o seu sétimo aniversário. Com início marcado para as 23h30, a festa conta com os DJs Maddox, Mendez e Jay Lion, DJ residente das festas M80. Os bailarinos da Alcântara Dancers prometem dar o exemplo e abrir a pista de dança até altas horas da madrugada. Os ingressos podem ser reservados junto ao Waikiki, através do contacto 212 962 129.

 

10. Praticar chi kung no Solar dos Zagallos

solar-zagallos

A 9 de junho, os almadenses voltam a “Domingar no Solar” dos Zagallos a partir das 15h. Uma aula de chi kung, arte milenar chinesa que combina movimento, respiração e concentração, é a proposta para uma prática holística de bem-estar. Para os mais novos, há no mesmo momento hora do conto sobre as férias, com oficina onde os mais pequenos podem criar um cato em 3D. A aula é gratuita, com inscrição através do email solar@cm-almada.pt.

 

11. Participar numa visita guiada ao Convento dos Capuchos

Também no domingo, dia 9 de junho, pelas 16h, o Convento dos Capuchos volta a abrir portas para mais uma visita guiada com o historiador Rui Mesquita Mendes. Juntos, os participantes vão poder descobrir mais sobre o emblemático edifício do séxulo XVI, que reflete os princípios religiosos dos frades franciscanos para quem foi construído. A iniciativa, integrada no Festival dos Capuchos é gratuita, com marcação através do e-mail info@festivalcapuchos.com ou do contacto 938 941 224.

 

12. Conversar sobre Camões nos 500 anos do seu nascimento

Ainda a 9 de junho, pelas 18h, participe na segunda conversa sobre Literatura no Convento dos Capuchos. Desta vez, o colóquio é dedicado ao tema «Engenho e arte de ser português», no quinto centenário de Luís Vaz de Camões, um dos maiores poetas da Península Ibérica. Participam no colóquio José Carlos Seabra Pereira e Maria Bochichio, com moderação de Carlos Vaz Marques. Integrado no Festival dos Capuchos, o evento conta com entrada livre.

 

Santos populares 2024: roteiro dos arraiais em Almada

Publicidade
fct-cientistas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *