Festival de Almada regressa entre 4 e 18 de julho

Festival volta a trazer espetáculos de teatro, conversas, concertos e exposições a Almada e Lisboa.

 

Robert Wilson volta a ser um dos grandes destaques da edição deste ano do Festival de Almada. O encenador vai apresentar o espetáculo “I was sitting on my patio this guy appeared I thought I was hallucinating” no Teatro Nacional D. Maria II. O anúncio foi feito durante a apresentação da programação para a 39ª edição do evento, que decorreu esta quarta-feira, 15 de junho, na Casa da Cerca, em Almada Velha.

O festival de teatro é organizado pela Câmara Municipal de Almada (CMA), em parceria com a Companhia de Teatro de Almada. No total serão 20 espetáculos —dos quais 13 produções são estrangeiros e sete são portuguesas. Para além dos espetáculos de teatro, o festival vai apresentar exposições, conversas e concertos de 4 a 18 de julho.

Além de Robert Wilson, a programação conta com outras obras de renome como “Aucune Idée”, peça concebida e encenada durante o período de confinamento por Christoph Marthaler, um encenador de renome, e interpretada pelo seu cúmplice de longa data, Graham F. Valentine.

Thomas Ostermeier, vencedor do Prémio Europa em 2000 e do Leão de Ouro da Bienal de Veneza em 2011, traz  “ödipus” ao Teatro Municipal Joaquim Benite. Com texto de Maja Zade, a peça versa sobre segredos e intrigas familiares que acaba em tragédia.

“Noite de Reis” é a grande estreia deste ano pela Companhia de Teatro de Almada, baseada num texto de Shakespeare com a encenação de Peter Kleinert.” É um projeto que tínhamos previsto há dois anos, mas os ensaios tiveram de ser interrompidos devido à pandemia”, destacou o diretor artístico do festival, Rodrigo Francisco, durante a apresentação da programação.

“Estou muito feliz por estar de volta a Almada, é uma grande oportunidade trabalhar noutro país e estou muito agradecido”, afirmou o encenador, que também encheu o elenco de elogios, dizendo que “está muito feliz” por ter encontrado a maior parte das pessoas com quem trabalhou anteriormente.

Destaque também para “Se eu fosse Nina”, de Rita Calçada Bastos, que tem como particularidade o facto de estar preparado para ser interpretado tanto dentro de uma sala convencional de teatro como fora. “Estou duplamente feliz porque, além do espetáculo, vamos editar o livro do texto original”, disse a encenadora, que também descreveu a peça como uma reflexão da “condição do ator”, que aborda “quem é que precisa de existir, se é o ator ou a personagem”.

Também em exibição vai estar “Eu sou a minha própria mulher”, de Doug Wright, com encenação de Carlos Avilez. A peça conta a biografia de Charlotte von Mahlsdorf, uma pessoa transgénero que viveu sob a ditadura nazi.

A programação conta ainda com “Taco a Taco”, de Kieran Hurley e Gary McNair, com a encenação de Pedro Carraca, uma produção que acompanha dois adolescentes que se encontram numa casa de banho horas antes do seu confronto físico. Um espetáculo que explora “o que se espera do crescimento de um homem”, disse o encenador sobre a peça, que estará em exibição no salão de festas da Incrível Almadense. 

 

Homenagem a José Manuel Castanheira e concertos ao ar livre

Além dos espetáculos de teatro, o festival também conta com atos complementares, como a “homenagem a José Manuel Castanheira” que a presidente da CMA, Inês de Medeiros, destacou e a quem agradeceu “uma vida de trabalho”.

Haverá ainda espetáculos de música ao vivo todos os dias, com destaque para as atuações do Instituto Nacional de Música do Afeganistão, para o duo Recanto, a banda PAUS e a cantora portuguesa Rita Braga.

O festival tem uma assinatura geral no valor de 80 euros e de 60 euros para amigos do Teatro Municipal Joaquim Benite (TMJB). Para os bilhetes avulsos os preços variam consoante os locais de exibição. Entre 17 e 12 euros no TMJB, 15 euros para a Escola D. António da Costa, 12 euros para o Fórum Municipal Romeu Correia, 12 euros para o Teatro-Estúdio António Assunção, 12 euros para Incrível Almadense; entre 9 e 16 euros para o Teatro Nacional D.Maria II e entre 21 a 35 euros para o Centro Cultural de Belém.

Para mais informações pode contactar o TMJB por e-mail, contacto telefónico através do número 917433120, ou consultar o site da Companhia de Teatro de Almada.

 

Almada: Quinta do Almaraz vai abrir-se para visitas guiadas

Apoie-almadense

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.