Transtejo vai contratar serviço de desinfeção de emergência para responder ao coronavírus

Transportadora que assegura as ligações fluviais no rio Tejo diz que até ao momento não registou qualquer caso suspeito relacionado com passageiros.

 

A Transtejo/Soflusa (TTSL) vai contratar um serviço especializado de “desinfestação e desinfeção de emergência”, que será “imediatamente acionado” em qualquer “situação de caso suspeito” que seja detetado no transporte fluvial entre Lisboa e a margem sul, informou fonte da empresa de transporte ao ALMADENSE.

A medida faz parte do plano de contingência que a transportadora colocou em marcha para evitar contágios através do novo coronavírus. Nesse sentido, a Transtejo/Solflusa garante também já estar a proceder ao “reforço dos procedimentos de higienização dos seus vários espaços e locais”, aumentando “as rotinas diárias e regulares de limpeza e higienização quer dos terminais e estações quer dos navios”, adiantou a mesma fonte.

Assim, o plano em vigor contempla ainda uma “intervenção extra, realizada em vários momentos do dia (entre as 7h e as 20h)”, que visa “assegurar o reforço da limpeza e desinfeção de superfícies do interior dos navios com maior frequência de contacto manual, como sejam varões e corrimãos” e também a “intensificação dos procedimentos de limpeza e desinfeção diários dos espaços dos terminais e estações, dando especial atenção às superfícies e equipamentos de maior utilização (obliteradores, torniquetes, máquinas automáticas de venda de títulos)”.

Além destas medidas, a partir de hoje, 14 de Março, a vai encerrar as casas de banho existentes navios, por “serem considerados potenciais locais de risco”.

No que respeita aos trabalhadores, o plano de contingência da TTSL determina, entre outras medidas, a criação áreas de isolamento, em todos os locais de atividade, incluindo terminais e estações.

Sobre eventuais impactos do surto de Covid-19 no serviço de transporte público fluvial, a empresa de transporte público informa ainda que, até ao momento “não se registou qualquer caso suspeito relacionado com passageiros” e que “não foi reportado qualquer caso suspeito relacionado com trabalhadores da TTSL”.

Para obter mais informação sobre a doença provocada pelo coronavírus, consulte o site da Direção-Geral de Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *