Lares de Almada e Seixal serão testados “de forma sistemática” a partir da próxima semana

Todos os funcionários que prestam cuidados nas residências para idosos nos concelhos de Almada e Seixal vão ser testados à Covid-19 a partir da próxima segunda-feira. Nos centros de despiste, o número de testes diários sobe de 30 para 40.

 

A partir da próxima semana, os testes à Covid-19 nos lares de idosos vão passar a ser feitos “de forma sistemática no nosso território”. A garantia foi deixada ao ALMADENSE por Alexandre Tomás, diretor do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Almada – Seixal.

O objetivo é “testar todos os profissionais” que prestam cuidados nos estabelecimentos residenciais dos mais idosos, “independentemente de haver casos suspeitos ou não”, assegurou o responsável. “Entendemos que os profissionais que trabalham naqueles locais são potenciais veículos de infeção” e, por isso, estão a ser “alvo de observação de forma quotidiana”, afirma.

De resto, foi detetado na semana passada um foco de infeção na Residência Sénior Nossa Senhora da Esperança (na Cova da Piedade), confirmado por Alexandre Tomás. O responsável escusou-se, contudo, a indicar o número de pessoas afetadas naquela instituição, adiantando que a residência adotou medidas especiais de proteção, nomeadamente o “afastamento entre utentes positivos e negativos”.

Quanto à ação de rastreio, que se estende a partir de segunda-feira a todos os lares do concelho, faz parte da estratégia nacional de mitigação dos efeitos da pandemia de Covid-19.  Será feita por uma equipa multidisciplinar, sob orientação da segurança social, em articulação com a proteção civil e as autoridades de saúde.

 

Polícias e bombeiros testados quando há suspeitas

No que toca às forças de segurança e aos bombeiros, por serem considerados “profissionais prioritários”, poderão fazer testes à Covid-19 e obter resultados de forma mais célere, informa Alexandre Tomás. Ainda assim, ressalva, “não há indicação das autoridades de saúde para fazer testes indiscriminados” junto destes profissionais, pelo que o rastreio só é feito “quando há uma suspeita”.

Assegurando que as autoridades de saúde têm estado a “intervir de forma proactiva e sistemática no território”, o diretor da ACES Almada-Seixal avançou ainda que no final da próxima semana o número de testes que está a ser feito tanto no centro de despiste instalado no Pragal, em Almada, como da Torre da Marinha, no Seixal, irá subir de 30 para 40 diários em cada unidade.

 

Mais 550 desempregados num mês em Almada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *