Cuidados intensivos do Hospital Garcia de Orta no limite

O Hospital Garcia de Orta, em Almada, é uma das unidades a ressentir-se do constante aumento no número de casos de Covid-19 em Portugal.

 

A unidade de cuidados intensivos do Hospital Garcia de Orta, em Almada, enconta-se no limite, o que está a levar a unidade hospitalar a transferir doentes para hospitais do médio Tejo como o de Abrantes. A informação foi veiculada pela Ordem dos Médicos, que denuncia a falta de camas e de recursos humanos alocados na resposta à Covid-19.

“Sabemos que temos muitos ventiladores, mas continuamos sem ter pessoas para operar esses ventiladores. Sem ter médicos em número suficiente e, em especial, enfermeiros capazes e treinados para pôr esta rede a responder de forma rápida”, afirmou Alexandre Lourenço, presidente regional do Sul da Ordem dos Médicos, em declarações à RTP. De acordo com o profissional, há médicos a fazer “urgências de 24 horas três vezes por semana”.

Também Jorge Roque da Cunha, do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), alertou para o facto de “vários hospitais” estarem “a atingir a sua capacidade”. A situação é transversal a outras unidades da Grande Lisboa, que estão também a acusar a pressão do aumento de casos de Covid-19.

De acordo a Ordem dos Médicos, também o Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, ou o Hospital de Vila Franca de Xira terão atingido a sua capacidade máxima, estando a transferir doentes para outras unidades hospitalares. Por sua vez, o Hospital Amadora-Sintra suspendeu internamentos para serviço de pneumologia depois de detetados pelo menos cinco casos de Covid-19 entre os utentes internados.

 

Covid-19. Mais 143 casos em Almada na última semana

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *