Almada investe 3,4 milhões na requalificação da Avenida do Mar

Renovação da artéria situada na Charneca de Caparica prevê a criação de uma via partilhada para bicicletas e peões. 

 

A Câmara Municipal de Almada pretende avançar com a requalificação da Avenida do Mar, na Charneca de Caparica, no princípio do próximo ano. Para realizar a intervenção, o Executivo camarário contemplou uma verba de cerca de 3,4 milhões de euros no orçamento municipal para 2021, aprovado no início de dezembro.

“O concurso público será aprovado em meados de janeiro”, anunciou o PSD Almada na sua página de Facebook, adiantando que a aprovação deverá acontecer “após a revisão obrigatória do projeto”.

Recorde-se que a intervenção recebeu um parecer favorável condicionado por parte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT).

Com uma extensão de perto de 3 quilómetros, o projeto prevê a criação de vias partilhadas entre bicicletas e peões nos passeios. A solução tem sido adotada pelo município em outras requalificações viárias realizadas no concelho, como a estrada de acesso à praia da Fonte da Telha ou nos “Percursos Escolares Cicláveis”, na Sobreda.

“A Avenida do Mar é uma via com elevado tráfego, de cerca de 5000 viaturas por dia, além do intenso tráfego que regista durante a época balnear, pelo que a sua requalificação é uma das prioridades da Câmara Municipal de Almada no que respeita à melhoria da rede viária”, afirmou o vereador com o pelouro da rede viária, Miguel Salvado, aquando da adjudicação do projeto de execução.

 

Covid-19. Almada conta 110 mortes desde o início da pandemia

3 Comentários

  • Dezembro 14, 2020 at 8:54 pm
    Permalink

    No que respeita à Av. do Mar, é uma grande treta, há mais de 20 anos que ouço dizer isto.
    Pois, aproxima-se as eleições autárquicas e vai disto, começam as promessas, tenham vergonha.

    Responder
  • Dezembro 14, 2020 at 9:58 pm
    Permalink

    A intervenção nesta via era uma das contrapartidas exigidas à concessionária Baixo Tejo para a construção e exploração da A33.
    Foi desenvolvido, revisto e aprovado o respetivo projeto de execução, no entanto, a obra nunca foi para a frente, apesar de ser uma obrigação contratual da concessionária.
    Agora, surpresa das surpresas, vai ter de ser construída com dinheiro público.
    Bravo! Conseguiram mais uma vez.

    Responder
  • Dezembro 23, 2020 at 10:37 am
    Permalink

    SE ESTAVA PREVISTO OU NÃO, NÃO SEI, MAS TUDO INDICA QUE VAI SER MAIS UMA FARTURA DE CIMENTO NO FUTURO. ENTRETANTANTO , NAS VIAS DO CONCELHO, OS BURACOS NASCEM QUE NEM COGUMELOS APESAR DE TER SIDO O LEAD DA PROPAGANDA ELEITORAL .O RESTO É PAISAGEM

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *