Desemprego em Almada aumentou 56% desde o início da pandemia

No espaço de seis meses 2664 pessoas perderam o emprego no concelho de Almada.

 

O número de desempregados em Almada continua a subir. No mês de Agosto houve registo de mais 231 pessoas, o que eleva o total de pessoas em situação de desemprego no concelho para 7385, revelam os dados divulgados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Comprarando com os números de Fevereiro, contabilizam-se mais 2664 inscritos nos centros de emprego em Almada. Ou seja, desde o início da pandemia de Covid-19, que obrigou ao confinamento, o número de pessoas em situação de desemprego no concelho aumentou 56%.

Ainda assim, os últimos três meses mostram uma tendência de desaceleração: o maior agravamento se verificou-se entre Março e Junho, período em que o concelho registou mais 2026 desempregados.

O grupo etário mais afetado situa-se entre os 35 e os 54 anos, correspondendo e 3347 pessoas. No que diz respeito aos géneros, as mulheres mulheres continuam a ser mais atingidas pela situação de desemprego (4215), do que os homens (3170).

A evolução do concelho de Almada acompanha o total do país, que contabilizava, no final do mês de agosto, 409 331 indivíduos desempregados. O número, destaca o IEFP, “representa 74,5% de um total de 549 549 pedidos de emprego”.

 

Pedidos de apoio social em Almada multiplicam-se

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *