Carta da diretora

 

Por que decidi lançar o jornal ALMADENSE

 

Licenciei-me em Jornalismo pela Universidade de Coimbra e trabalho como jornalista profissional há mais de 12 anos. Antes de me fixar em Almada, vivi em Madrid e Barcelona, onde trabalhei como correspondente para o Jornal de Notícias e TSF. Durante este período, acompanhei processos eleitorais, fiz reportagens sobre o processo independentista na Catalunha, o legado do terrorismo no País Basco, ou a memória do Franquismo. Também entrevistei alguns dos principais protagonistas do panorama político espanhol.

 

Como freelancer, fiz a cobertura de umas históricas eleições gregas, assinei reportagens sobre o polémico regresso da fronteira entre o Reino Unido e a Irlanda ou sobre as tensões entre a população dos países bálticos e a minoria de origem russa que ali reside. Mas também escrevi sobre Portugal para meios espanhóis como eldiario.es, CTXT ou Infolibre e assinei várias crónicas sobre assuntos europeus para o jornal internacional Fair Planet.

 

Regressada a Portugal, instalei-me em Almada e rapidamente me surpreendi ao descobrir que não existia nenhum jornal local neste concelho. Percebi que era difícil obter informações e notícias sobre o território onde morava. Sabia que a imprensa local em Portugal enfrentava dificuldades, mas não imaginava que uma cidade com a dimensão de Almada, com mais de 170 mil habitantes, não tivesse um jornal. Foi a certeza de que os almadenses merecem estar informados sobre o que acontece no seu concelho, no seu bairro, na sua rua, que me motivou a apostar neste projeto de jornalismo independente.

 

O ALMADENSE não está ligado a nenhum grupo de comunicação ou instituição. É uma iniciativa pessoal, aberta a todos os que se interessam por Almada, que pretende contribuir para envolver a população na reflexão sobre a cidade e para a união entre todos os almadenses. Se valoriza o trabalho desenvolvido pelo ALMADENSE e acredita na importância de uma imprensa local independente, faça parte desta comunidade e contribua para a continuidade deste projeto.

 

Maria João Morais

Diretora